Engenharia de Produção


Engenharia de Produção – O engenheiro de produção é fundamental em empreendimentos de quase todos os setores. Cabe a ele gerenciar os recursos humanos, financeiros e materiais de uma empresa a fim de elevar sua produtividade e rentabilidade.

Ao associar conhecimentos de engenharia a técnicas de administração e fundamentos de economia, é capaz de propor procedimentos e métodos que racionalizam o trabalho, aperfeiçoam a produção e ordenam as atividades financeiras, logísticas e comerciais de uma organização. Por atuar como elo entre os setores técnicos e administrativos, seu campo de trabalho ultrapassa os limites da indústria.Engenharia de ProduçãoO especialista em economia empresarial, por exemplo, costuma ser contratado por bancos para montar carteiras de investimentos. Também é requisitado por empresas prestadoras de serviços para definir funções e planejar escalas de trabalho. Vários cursos permitem ingressar nesta carreira como tecnólogo.

Público-alvo – Engenharia de Produção

Para trabalhar na área de Engenharia de Produção, o profissional precisa, em primeiro lugar, identificar-se com matemática, física e ciências sociais. Agilidade, atenção, concentração, criatividade, empreendedorismo, iniciativa, versatilidade, raciocínio lógico e poder de decisão são características primordiais para o exercício da profissão. Saber trabalhar em equipe e manter-se atualizado sobre assuntos ligados à área também contribuem diretamente para a atuação do engenheiro de produção.

O curso Engenharia de Produção

O curso de Engenharia de Produção é constituído, basicamente, por disciplinas da área de exatas, como química, matemática e física. Além disso, matérias específicas, a exemplo de cálculo, informática, desenho técnico, administração, economia, geometria, logística, dentre outras, também compõem a grade curricular da graduação. Os graduandos em Engenharia de Produção também contam com disciplinas optativas, conforme a linha de estudo de sua preferência, aulas práticas e laboratoriais.

O curso Engenharia de Produção

Duração média 
Bacharelado – 10 semestres

Mercado de Trabalho
O mercado de trabalho para a engenharia de produção está cada vez mais amplo. Atualmente, os setores que concentram maior número de profissionais são as indústrias de bebidas, cigarros, automobilísticas e eletrônicas. Finanças, telecomunicações, informática e previdência também são alguns segmentos que estão em alta nos dias atuais. Contudo, a constante expansão da área de logística ainda faz do setor um dos mais disputados do mercado.

Formas de Atuação
Profissionais graduados em Engenharia de Produção podem atuar em pesquisas, programas de controle de qualidade e em setores de manufatura e serviços, além de indústrias, bancos, redes de supermercados, transporte, hospitais etc. Considerado como um elo entre as áreas administrativa e técnica de uma empresa, o engenheiro de produção pode trabalhar, ainda, na seleção de pessoal técnico e em projetos de higiene e segurança.

Campos de Atuação 
Desenvolvimento organizacional
(análise e definição da estrutura da empresa, conforme mercado de trabalho)

Economia empresarial
(gerenciamento da vida financeira da empresa, custo, prazos, juros, aplicação dos recursos)

Engenharia do trabalho
(administração da mão de obra, avaliação de prazos e instalações, controle execução trabalho)

Planejamento e controle
(implantação e administração de processos de produção e padrões de qualidade)

Produção agroindustrial
(produção agrícola, processamento industrial, comercialização e distribuição de produtos)

Simulação de processos
(utilização de ferramentas de tecnologia da informação em busca de soluções)

Regulamentação da profissão 
Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966
Resolução nº 280, de 24 de junho de 1983
Resolução nº 288, de 7 de dezembro de 1983.

Quantidade média de profissionais
Cerca de 20 mil engenheiros de produção no Brasil em 2012

Quanto ganha um engenheiro de produção?

Atualmente o Brasil sofre com a falta de profissionais qualificados para as vagas de emprego que o mercado oferece, e isso naturalmente engloba as vagas oferecidas para os Engenheiros de Produção. Diante desse cenário uma empresa contrata um Engenheiro de Produção, realmente qualificado, especializado em Gestão de Projetos na área de Petróleo e Gás por até R$25.000,00 ou R$30.000,00. Já um Gerente de Produção também da área de Petróleo e Gás pode ser contratado por um valor que varia de R$25.000,00 a R$45.000,00 mensais.

O mercado de trabalho para engenharia de produção necessita de profissionais completos, que saibam desde programar a gerenciar, e que além de experiência tenham a responsabilidade exigida por cada função. A maneira como o Engenheiro se associa à profissão vai muito além da atmosfera da empresa onde trabalha. Situações, eventos e diversos outros fatores que estão fora da empresa podem, inclusive, afetar a maneira como o profissional irá aplicar o aumento na produtividade dentro da organização.

O salário inicial de um engenheiro de produção, para a carga horária de 6 (seis) horas diárias, está em torno seis salários mínimos, chegando até a 8,5 salários mínimos no caso de 8 (oito) horas, conforme o CREA do estado de São Paulo.

O cenário do mercado de trabalho para os profissionais de engenharia de produção é promissor, mas exige uma formação qualificada e um perfil empreendedor. Um profissional capaz de superar as expectativas do mercado de trabalho, certamente saberá buscar suas oportunidades.

Na FSG o estudante de engenharia da produção recebe formação que o capacita a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas ligados às atividades de projeto, operação, gestão e melhoria de sistemas de produção de bens e/ou serviços, considerando seus aspectos humanos, econômicos, sociais e ambientais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.

Exigências para exercício da profissão
Diploma de conclusão de curso de bacharelado em Engenharia da Produção;
Habilitação legal – Registro Profissional no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA).

 

Dicas

– Ter espírito empreendedor, comprometimento com os resultados da empresa, saber trabalhar em equipe, manter-se sempre atualizado e ter uma postura global ajuda a evoluir com mais facilidade na carreira.
– O profissional nunca deve acreditar que está totalmente formado. Cursos de especialização, de aperfeiçoamento, mestrado e doutorado sempre são muito importantes e bem-aceitos pelo mercado de trabalho.

Veja também: Engenharia de Produção está em alta no mercado brasileiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *